Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10419/186678
Authors: 
Carneiro, Dionísio Dias
Wu, Thomas Yen Hon
Year of Publication: 
2000
Series/Report no.: 
Texto para discussão No. 435
Abstract: 
O objetivo deste artigo é examinar de que forma a fixação dos juros, em princípio, pode ser adaptada para levar em consideração situações de excessos de oferta de capitais externos, através do Índice de Condições Monetárias. Ao compararmos os possíveis efeitos dessa estratégia em países com características diferentes, apontamos dois problemas. O primeiro diz respeito ao efeito sinalizador do câmbio sobre os fluxos e sobre as despesas domésticas. O segundo diz respeito aos mecanismos de transmissão do câmbio para o nível de atividade. Os mecanismos de transmissão dos movimentos de câmbio ao produto resultam de três efeitos: a) do câmbio sobre o saldo comercial; b) das exportações líquidas sobre o nível de atividade e, finalmente, da relação entre câmbio e nível de atividade, via inflação. O artigo apresenta evidências de que o saldo comercial é mais sensível a curto prazo ao nível de atividade do que ao câmbio; de que a causalidade é que a recessão precede as melhorias de saldo comercial; e de que a taxa de câmbio tem-se mostrado negativamente correlacionada ao nível de atividade. Ou seja, aumentos da taxa de câmbio real têm convivido com aumentos da recessão, o que nos leva a questionar se o papel do câmbio como mecanismo de transmissão da política monetária pode justificar o uso do câmbio como alternativa para a desgastante política de juros elevados. O objetivo de tentar obter combinações de saldos comerciais e nível de atividade que sejam politicamente mais atraentes a curto prazo, é, assim, dificultado, acreditando-se na evidência que pudemos recolher.
Document Type: 
Working Paper

Files in This Item:
File
Size
96.06 kB





Items in EconStor are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.